E-commerce – 5 técnicas para impulsionar as vendas

A importância de uma plataforma e estratégia robustas no e-commerce é inegável. O comércio eletrônico, ou o ato de comprar e vender produtos online, é uma parte essencial dos lucros de uma empresa. A Forrester Research aponta que consumidores norte-americanos gastarão US$ 327 bilhões em compras online em 2016.

Esse indicador só prova que comerciantes precisam ter um canal de vendas na internet. Se você precisa aumentar o rendimento da sua empresa, confira cinco técnicas de e-commerce que te ajudarão a impulsionar as vendas no online:

E-commerce – 7 passos para ganhar escalabilidade

Veja como criar uma estrutura de campanha PPC que te permita traçar estratégias de otimização mais eficazes e, ao mesmo tempo, alcançar o volume de tráfego desejável.

No e-commerce você já deve ter precisado gerar um volume de tráfego maior através de links patrocinados e esbarrado na estrutura limitada dessas campanhas. Quantas vezes já não se sentiu inseguro em otimizar grupos de anúncio por falta de confiança na estrutura ou por possíveis consequências inesperadas?

Os problemas citados, além de muitos outros existentes, têm como causa comum a estrutura da sua conta. Mas como criar uma estrutura de campanha PPC que te permita traçar estratégias de otimização mais eficazes e, ao mesmo tempo, alcançar o volume de tráfego desejável? Basta seguir as seguintes dicas:

Black Friday – Procon atualiza lista com sites a serem evitados

Black Friday – Procon atualiza lista com sites a serem evitados

O Procon de São Paulo, através de seu site oficial, disponibiliza uma lista com os páginas que a instituição recomenda que os consumidores evitem. Poucos dias antes da megaliquidação da Black Friday, a seleção foi atualizada e muitas lojas foram incluídas na listagem. Essa prática do órgão já acontece desde 2011 e a lista cresce cada vez mais.

Ao todo, são 449 lojas do comércio eletrônico que tiveram reclamações registradas no Procon-SP, foram notificadas, mas não responderam satisfatoriamente. Esse é o critério para ser incluído na lista e motivo suficiente para “enquadrar” uma loja na categoria de não confiável.